I’m back! | O motivo do sumiço

Sim, eu estou viva! E não, eu não desisti do blog. 😀

voltei

Continuar lendo

Anúncios

Notícias: Obra do Apê

Ai, ai, ai… será que eu posso dormir agora e acordar só em julho do ano que vem com o meu apartamento pronto e as dívidas pagas?! Será que é pedir muito? 😦

Não sei se todos vocês sabem, mas nesse post eu falei que a construtora do meu apê permite um acompanhamento do status da obra pelo site (mas lembre-se, isso é uma obrigação. Portanto, cobre a sua). Já sabem, né?! Toda virada de mês a minha ansiedade vai a mil esperando essa atualização. Sabe o que é o pior de tudo? É que eles não possuem uma data certa para transmitir essa informação, pode ser no primeiro dia ou no último. Com isso, eles me obrigam a entrar diariamente, pelo menos duas vezes ao dia, no site deles. Haja paciência. -.-

Confesso que esse mês eu estava com a esperança lá em cima, porque no mês de agosto pareceu que a obra estava  andando super rápido, ou seja, estava contando os dias para que chegasse outubro e eu pudesse ver a carcaça pronta. Adivinha!? FAIL! 

Convenhamos que entendo um total de zero coisas sobre andamento de obra. É tudo na base do achismo. E, sinceramente, já estou começando a achar que a minha obra vai atrasar. hehe

Olha a quantas anda a obra: Continuar lendo

Sala de Jantar na Varanda

Preeeciso compartilhar uma tendência em decoração que eu achei nessas andanças pela internet. Já falei aqui no blog que meu apartamento é pequenino, beem pequenino mesmo, tem seus grandes 58m² e minha sala tem aproximadamente 10m².

Eu sempre imaginei que seria quase impossível ter uma sala de jantar nele, devido às suas limitações, mas eis que eu percebi que a galera tem feito uma sala de jantar na varanda. :O Talvez, seja a coisa mais normal do mundo, mas preciso confessar que fiquei surpreendida.

O normal é tirar aquela parede que divide cada ambiente, tornando-o uma coisa só. No entanto, estou muuuuito em dúvida se vale a pena fazer isso mesmo. Tudo bem que nesse primeiro momento não vai ser possível por falta de tempo ($$$), até porque pra fazer isso, vou precisar fechar toda a varanda com janela de vidro. Continuar lendo

Cobrança da taxa condominial antes da entrega das chaves

A Construtora que está fazendo o meu apartamento permite que seja feito um acompanhamento da obra pelo site e eu não sei se isso é bom ou ruim, só sei que não passo um só dia sem entrar no site em busca de novidades e fico p@#$ da vida quando eles não atualizam, pois, na teoria, eles atualizariam uma vez por mês, mas até hoje, 26 de agosto, eles não atualizaram o desse mês. :((( Dá vontade de ligar para lá e perguntar se estão precisando de ajuda para fotografar.

Na verdade, o que me fez vir aqui hoje é a preocupação se a construtora vai entregar ou não o meu apartamento no prazo determinado. Já vi muita gente reclamando que teve que pagar condomínio mesmo sem estar morando, pois como eram duas ou mais torres e eles, às vezes, entregam uma torre por vez e o condomínio já estava “funcionando” para aqueles que foram contemplados primeiro.

Após ouvir isso, fiquei com um pé atrás, pois não faz sentido pagar por uma coisa que não estou fazendo uso, não é mesmo? Sabe o que é pior? É que eu fui pesquisar e comprovei que muita gente já passou por isso. :O

É comum no mercado imobiliário que a construtora transfira para o comprador do imóvel a taxa de condomínio a partir da emissão do habite-se (documento emitido pelas prefeituras atestando a legalidade do prédio ou da casa). O problema é que esse documento nem sempre é sinônimo de entrega imediata do imóvel.

Continuar lendo

Apartamento Decorado – 58m²

No início do blog eu fiz um post dando dicas de decoração para apartamentos, que assim como o meu, não passam de 60m². No entanto, esse é o assunto que mais me agrada pesquisar, principalmente nesse momento, em que eu só posso imaginar mesmo.

Pois bem, vi um artigo do site CASA, um pouco antigo, falando justamente sobre decoração em apErtamento. hehehe.  Além de ser uma linda decoração, ela usou pastilhas (que é outra vontade que tenho) para dar um ar ainda mais especial ao apartamento.

O artigo conta a história de uma mulher que ao se separar comprou um apartamento novinho, mas super básico, como a gente já sabe e após viver nele por um tempo, decidiu reformá-lo.

Vou começar pelo banheiro, até porque é um dos cômodos que eu acho que mais reflete o dono da casa. Não suporto ver banheiro sujo e nem com cara de sujo.

.10-ape-de-58-m2-ganha-marcenaria-pastilhas-e-itens-reciclados

Duas coisas foram determinantes nessa mudança: Essa mistura do banheiro branco com pastilhas verdes e um espelhão. Há duas certezas na vida: a morte e espelho em cômodos pequenos. Olha como parece que o local tem o dobro de tamanho.

Outro cômodo que eu adoroooo: a cozinha. Ela revestiu toda a parede com quadradinhos de vidro vermelho e aproveitou as duas laterais da cozinha para compor os armários, sendo que no lado esquerdo, ela utilizou portas de correr, pois toma ainda menos espaço.

05-ape-de-58-m2-ganha-marcenaria-pastilhas-e-itens-reciclados

Olha como a sala junto à cozinha ficou bem melhor quando usado um só tipo de material, unificando toda a parede. Além de aproveitar a sobra da parede em cima para colocar o split, ela aproveitou também tudo quanto era espaço para pôr uns nichos que pudessem comportar alguns itens de decoração e até mesmo cd’s e dvd’s

01-ape-de-58-m2-ganha-marcenaria-pastilhas-e-itens-reciclados

03-ape-de-58-m2-ganha-marcenaria-pastilhas-e-itens-reciclados

Essa bancada foi uma ótima ideia, pois já tirou a necessidade de ter uma mesa na sala, caso seja pequena.

Eu amei essa decoração, os móveis usados, tudo! Mais uma para a minha “caixinha de ideias”. Glamour eu tenho, só me falta-me o dinheiro. hehehehe

ITBI – Mais uma despesa para lista

Quanto mais eu procuro saber sobre as coisas que preciso/precisarei pagar sobre o apartamento, menos eu penso em procurar. Sei que por um lado é bom, porque eu já vou poder ir me precavendo e tentando planejar saídas para ter esse tanto de dinheiro, mas por outro lado, eu vou ficando muito assustada, com medo de não conseguir dar conta de tanta despesa.

No post anterior, falei sobre o INCC, e o quanto ele afeta na compra do apartamento na Planta. Pois bem, posso dizer que estou sofrendo esses ajustes na pele, como a gente não conseguiu antecipar boa parte das parcelas para antes do reajuste do pico anual do INCC, já sabem, né? Ocasionou um aumento na dívida.

Enfim, hoje não vim falar sobre o INCC e sim sobre as outras despesas que são custeados pelo comprador.

– O ITBI – Imposto sobre a Transferência de Bens Móveis, ele é um imposto municipal (por isso, o que eu falar aqui pode variar de Município para Município) devido pelo comprador do imóvel e a sua alíquota varia de acordo com o município, aqui no Rio de Janeiro ele  fica pela casa dos 2% sobre o Valor de Venda ou Valor Venal do imóvel (valor corrente de mercado), o que for maior. Quem for do Rio de Janeiro e quiser fazer uma simulação para saber o valor a ser pago referente ao IBTI, é só clicar aqui (você vai precisar da numeração do IPTU para fazer a simulação) O grande problema não é só o imposto em si e sim o valor arbitrado pela prefeitura, que muitas das vezes pode superar em até 50% do preço da venda. Quem achar abusivo o valor, pode abrir um processo, mas, segundo pesquisas, só 2,1% das pessoas pedem revisão e isso se dá pois a maioria compra o imóvel por meio de financiamento e para dar início à abertura de crédito é necessário a guia de pagamento do imposto paga, ou seja, para não prejudicar o financiamento, as pessoas acabam pagando, mesmo que com muito sacrifício.

Pois é, este imposto está pronto para te deixar de cabelo em pé e bolsos vazios 😦 Vou dar um exemplo rápido de como funciona: Você comprou o apartamento por R$ 200.000,00 ( na cabeça de muitos, o ITBI deveria incidir sobre esse valor e a guia de pagamento seria de R$ 4.000,00 ). No entanto, o valor atribuído pela prefeitura é de R$ 300.000,00. Sendo assim, como o valor maior é o indicado pela prefeitura, você vai pagar o ITBI sobre ele, ou seja, 2% sobre os R$ 300.000,00 que resulta R$ 6.000,00. Portanto, você pagará R$2.000,00 a mais. Lembrando que: não estou dizendo que esse valor que foi atribuído pela prefeitura é abusivo ou não, apenas que pode acontecer de você pagar um imposto que tem outro valor como base. Continuar lendo

INCC – O Monstro da Construção Civil?

Mensalmente recebo o boleto de pagamento da construtora referente ao imóvel da planta, pois enquanto eu não pego as chaves, o meu relacionamento é direto com a construtora. Ao receber os boletos, percebi que ele tinha o seu valor alterado todo mês. Com isso, fui correr atrás para saber um pouco mais sobre o que afetava essas alterações e se realmente é justo as construtoras cobrarem.

Pra início de conversa, é preciso saber o que é o INCC e no que ele afeta na compra do apartamento na planta.

Índice Nacional de Custo da Construção. Esse índice foi estabelecido pelo Governo para que os custos da construção acompanhe a inflação e engloba tanto a mão-de-obra quanto a variação no preço dos materiais. Ele foi criado após diversas quebras  financeiras das construtoras e promessas não cumpridas sobre as entregas do apartamento. Tendo isso em vista, o Governo passou a ser mais rígido e aplicar algumas penalidades nas construtoras e suas promessas e ao mesmo tempo estabeleceu o INCC, que serviu para assegurar as construtoras quanto à inflação. Resumindo: o INCC garante o poder de compra do seu dinheiro nas mãos das construtoras com o decorrer dos anos.

É preciso saber, também, que o INCC não afeta só o valor mensal das parcelas. Ele afeta as intermediárias, balões, entrega das chaves e o restante a ser financiado. :O

Tudo estaria OK se a renda da família conseguisse acompanhar proporcionalmente esse índice, mas infelizmente isso não acontece, até porque, tem períodos que ele sobe muito. É possível ver alguns casos em que a dívida atualizada pelo INCC conseguiu superar o valor atual do imóvel.

Por isso, quando formos fazer o planejamento financeiro acerca da compra do imóvel, é preciso levar em consideração esse índice. O problema é que muitas das vezes, quando vamos fechar o negócio, não temos conhecimento sobre o assunto e o vendedor dificilmente vai maximizar o riscos falando sobre ele.

Pra quem quiser saber como calcular o a prestação após a correção do INCC, segue o cálculo: Continuar lendo